Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Em carta, Cunha cita Eduardo Paes e diz que Moro usurpou poderes

EXCLUSIVO: Ex-presidente da Câmara escreveu uma carta em que relata angústias de 1.095 dias na prisão

Por Robson Bonin - Atualizado em 25 out 2019, 10h59 - Publicado em 25 out 2019, 07h02

Na carta que escreveu ao completar nesta semana três anos de prisão, Eduardo Cunha bate forte em Sergio Moro: “Fui condenado no Paraná baseado apenas na palavra de um delator por ‘ouvir dizer’, quando vários tiveram as suas denúncias rejeitadas no STF por serem baseadas apenas nos delatores”, diz.

Para Cunha, o ex-juiz da Lava-Jato usurpou poderes ao condená-lo num caso que acabou interpretado pelo STF como crime eleitoral, entendimento que teria servido para beneficiar o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes em casos similares, mas não Cunha.

“A denúncia dessa condenação foi aceita pelo plenário do STF por crime eleitoral e mesmo assim, após a perda do meu mandato, o meu processo foi para a Justiça Federal e foi julgado por Sergio Moro, que usurpou a competência da Justiça Eleitoral, descumprindo a decisão do STF. Enquanto isso, o STF mandou vários casos para a Justiça Eleitoral, como por exemplo o caso de Eduardo Paes, retirando das mãos da Justiça Federal e do juiz Marcelo Bretas”, escreve.

“Acrescenta-se ainda que Moro deu a sentença desse processo 36 horas após a entrega das acusações finais, ou seja, a minha sentença já estava pronta. A lei não é para todos”, registra Cunha.

Leia a íntegra aqui.

Continua após a publicidade
Publicidade