Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Duque nega ter visto sucessor de Barusco recebendo propina

Entretanto, Duque fez uma ressalva

Por Pedro Carvalho Atualizado em 7 jul 2017, 14h01 - Publicado em 6 jul 2017, 19h13

Preso na 39ª fase da Lava-Jato, Roberto Gonçalves sucedeu Pedro Barusco como gerente-executivo da área de Engenharia e Serviços da Petrobras, em março. Ricardo Pessoa, dono da UTC, afirmou ter entregado a ele uma mala de dinheiro em um bar.

A Polícia Federal e o MPF afirmam que Roberto recebeu propina para favorecer empresas nas licitações da estatal e que mantinha este dinheiro em contas no exterior.

Mas o depoimento de Renato Duque pode mudar a sorte de Gonçalves: “Ele, diferente do Barusco, nunca se encarregou de negociar e receber propina em meu nome”, disse.

Entretanto, Duque fez uma ressalva: “Eu acredito que sim [ele recebia] porque era o modus operandi naquela época”.

Continua após a publicidade
Publicidade