Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Dois dias atrás, Eike se considerou um “injustiçado nacional”

Leia mais...

Por Evandro Éboli 8 ago 2019, 10h50

Dois dias atrás, Eike Batista foi ouvido na CPI do BNDES, em Brasília. Discorreu sobre seus bilhões de investimento, se disse vítima das empreiteiras e falou sobre sua condenação a 30 anos de cadeia por envolvimento no esquema do ex-governador Sérgio Cabral.

Sobre esta sentença de Marcelo Bretas, deu-se o diálogo com o deputado Sanderson (PSL-RS).

Sanderson: “Trinta anos de reclusão”

Eike: “Sim”.

Sanderson: “Foi uma injustiça da Justiça Federal do Rio de Janeiro, depois do inquérito da Polícia Federal, denúncia do Ministério Público Federal, chegarem a essa soma de 30 anos de reclusão? O senhor é um injustiçado nacional?”

Eike: “Total injustiça”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade