Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Distanciamento não é respeitado em 85% de agências da Caixa, diz pesquisa

Dossiê Covid no trabalho foi realizado pela USP, Unesp e UFPA, com o apoio da Fenae e participação de bancários

Por Gustavo Maia Atualizado em 27 set 2021, 12h07 - Publicado em 28 set 2021, 09h29

Pesquisa realizada com a participação de bancários da Caixa Econômica apontou que cerca de 85% dos entrevistados relataram que há contato próximo entre trabalhadores e clientes, “sempre ou quase sempre” — ou seja, o distanciamento necessário para se proteger da Covid-19 não é respeitado.

O estudo também identificou que “sempre ou quase sempre” falta ventilação adequada em aproximadamente 80% das agências do banco onde atuam os entrevistados.

O levantamento foi realizado pela USP, Unesp e UFPA, com o apoio da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae) e corresponde à segunda fase de resultados preliminares do Dossiê Covid no Trabalho — referente ao período de novembro de 2020 até o mês passado.

“É uma realidade muito preocupante para os empregados e também para a população que frequenta as agências do banco, ainda mais considerando que a pandemia não acabou”, alerta o presidente da Fenae, Sergio Takemoto.

Até o momento, a pesquisa reuinu 2.761 questionários válidos respondidos por bancários, metroviários, petroleiros, agentes funerários, profissionais da saúde, domésticas e outras categorias. Destes, 24% correspondem a formulários entregues por 652 trabalhadores da Caixa, em todas as regiões do país.

Dentre eles, 198 (30%) responderam que contraíram Covid-19 — e 128 (65% deste total) acreditam que se infectaram no trabalho.

Continua após a publicidade

Publicidade