Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Depois de sepultar impeachment, Lira se une a Bolsonaro no Planalto

Presidente da Câmara desceu a rampa do palácio ao lado do presidente durante cerimônia nesta terça

Por Gustavo Maia Atualizado em 22 jun 2021, 16h52 - Publicado em 22 jun 2021, 16h50

Depois de sepultar nesta terça, em entrevista ao Globo, a possibilidade de abertura de impeachment contra Jair Bolsonaro, Arthur Lira ganhou posição de destaque na cerimônia do Plano Safra no Planalto.

Há pouco, desceu ao lado de Bolsonaro a rampa até o salão onde a cerimônia ocorre. Estão, como a foto mostra, lado a lado.

Lira foi perguntado pelos repórteres Evandro Éboli e Thiago Bronzatto se há condições de abrir processo de impeachment contra o presidente nesse momento. A resposta: “Não é por aí. A minha função no impeachment é de neutralidade. Não sou eu que faço o impeachment. Você quer dizer que o presidente Bolsonaro não tem voto na Câmara para segurar um pedido de impeachment? Que ele não tem base de apoio popular para se contrapor a um pedido de impeachment? Então, o que é que estão querendo? Que eu desorganize o país, que eu comece uma conflagração de 122 votos que querem contra 347 que não querem? Vocês querem testar? O que a população quer é testar? Acha que é o caminho? Vamos testar. O que eu estou dizendo é que o impeachment é feito com circunstâncias, com uma política fiscal desorganizada, uma política econômica troncha. O impeachment é político”.

Publicidade