Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Delegado da PF preso no Rio atuou em crimes fazendários

Policial federal foi alvo de operação contra esquema de pagamento de propina em troca de proteção nas investigações

Por Mariana Muniz Atualizado em 15 out 2020, 17h51 - Publicado em 15 out 2020, 11h42

Um dos presos pela Operação Tergiversação, deflagrada pela Polícia Federal e em conjunto com o MPF nesta quinta-feira, é o delegado da PF Wallace Noble — que já foi da Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários da Polícia Federal e esteve em equipes que atuaram em operações da Lava-Jato.

Além do delegado, um empresário foi alvo de um mandado de prisão preventiva e outros 33 mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

As investigações apontam para um esquema de pagamento de propina para policiais em troca de proteção nas investigações realizadas em operações, com a participação de advogados que atuaram como intermediários das cobranças de vantagens indevidas dos empresários e ficavam com uma parcela dos valores pagos aos envolvidos — cerca de 10 milhões de reais.

ATUALIZAÇÃO, às 17h22: Diferentemente do que o Radar informou anteriormente no título da nota, o delegado da PF não atuou no combate a crimes financeiros, mas a crimes fazendários. 

Continua após a publicidade

Publicidade