Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Defesa diz que Cavendish cresceu por competência e quer regime aberto

Alegações finais

Por Ernesto Neves 12 abr 2018, 17h06

Nas alegações finais entregues ao juiz Marcelo Bretas nesta quinta (12), a defesa de Fernando Cavendish pede para que ele seja sentenciado em regime aberto ou de reclusão domiciliar.

Ainda segundo os advogados, o crescimento acelerado da empreiteira Delta, que pertencia a Cavendish, foi fruto “de competitividade” e que a empresa praticava preços baixos “provenientes de uma cultura de austeridade”.

“… o notório crescimento da empresa não se deveu ao pagamento de propina a entes públicos, como quis fazer a crer a
Acusação Pública”, escreveu a defesa.

Segundo a força-tarefa da Lava-Jato, o ex-dono da empreiteira Delta integrou um esquema que lavou R$ 370 milhões desviados dos cofres públicos.  

Continua após a publicidade
Publicidade