Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Decotelli ostentou diplomas contestados em audiência no Congresso

Suposto doutorado na Argentina e pós-doutorado na Alemanha foram desmentidos por instituições de ensino

Por Evandro Éboli - Atualizado em 29 Jun 2020, 13h40 - Publicado em 29 Jun 2020, 14h07

Na condição de presidente do FNDE, o agora ministro da Educação, Carlos Alberto Locatelli, participou de algumas audiências públicas no Congresso, em 2019.

Os títulos hoje contestados por universidades da Argentina e da Alemanha eram apresentados ao como carro-chefe na leitura do currículo de Decotelli.

Foi assim em 12 de junho daquele ano, quando o ministro participou de uma audiência pública na Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara.

Ao anunciar Decotelli, a deputada Aline Sleutjes (PSL-PR), presidente da comissão,  citou o currículo do convidado. Na nota taquigráfica da comissão, que passa por revisão, a parlamentar o apresenta: “Hoje, temos aqui a presença do Sr. Carlos Alberto Decotelli, Presidente do FNDE — Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação, com pós-doutorado pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha; doutor em Administração pela Universidade Nacional de Rosário, na Argentina..”, e segue com outros dois cursos na FGV e UERJ.

Continua após a publicidade

No vídeo, a deputada o cita como “pós-doutorando” em Wuppertal. Ainda o consulta sobre a pronúncia da cidade alemã que abriga a universidade.

Nesta segunda, a universidade da Alemanha negou que Decotelli tenha título de pós-doutor e que permaneceu por três meses na instituição, em 2016, como pesquisador-visitante.

Na semana passada, a Universidade de Rosário já havia negado que o ministro conclui lá curso de doutorado, como também inseriu no seu currículo.

Publicidade