Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

CPI ordena que Polícia do Senado busque suposto lobista para depor à força

Marconny Faria deveria ter comparecido à comissão às 9h30 desta quinta-feira

Por Gustavo Maia Atualizado em 2 set 2021, 10h27 - Publicado em 2 set 2021, 10h19

A cúpula da CPI da Pandemia decidiu há pouco determinar que a Polícia do Senado busque o suposto lobista da Precisa Medicamentos Marconny Faria, para depor na comissão nesta quinta-feira. Ele foi convocado para as 9h30, mas até agora não apareceu e nem deu notícias. A ordem da “condução sob vara” foi assinada pelo presidente do colegiado, Omar Aziz.

Os senadores já contavam com a possível ausência do depoente. Na tarde desta quarta, ele informou que foi internado no Hospital Sírio-Libanês, em Brasília, por causa de uma dor pélvica, mas à noite, o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues, afirmou que o médico que concedeu o atestado usado pelo depoente voltou atrás e disse que cancelaria o documento, por ter percebido o paciente simulou a doença.

Há pouco, Randolfe disse a jornalistas que se Marconny não for localizado para depor ainda nesta quinta, vai requisitar a prisão preventiva dele à Justiça e um comunicado da sua situação à Interpol para evitar que ele fuja do país.

O senador contou ainda que, na quarta, prevendo o descumprimento da convocação, a CPI já acionou a Polícia Legislativa para monitorá-lo.

Continua após a publicidade
Publicidade