Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Comissão da Câmara convoca ministro da Educação

Deputados vão cobrar explicações do chefe do MEC sobre mudanças em institutos federais

Por Robson Bonin 15 set 2021, 14h11

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara aprovou nesta quarta o requerimento do deputado Elias Vaz (PSB-GO) para convocar o ministro da Educação, Milton Ribeiro, a dar explicações na Casa sobre as mudanças em Institutos Federais, inclusive com nova política de indicação de reitores que o governo pretende implantar.

“O ministro anunciou em reunião com atuais reitores que pretende dividir IFs. A proposta dá a entender que serão criadas 10 novas reitorias, mas, na prática, não seriam criados campi, nem ampliado o número de vagas e cursos. Vão apenas dividir o que já existe, sem implantar estrutura para isso”, diz Elias Vaz.

O deputado explica que esses novos reitores seriam indicados pelo governo federal e não eleitos num processo democrático: “Essa medida representa o desmonte da autonomia dos institutos federais. O presidente Bolsonaro já vem ameaçando essa autonomia desde que assumiu, nomeando reitores que não foram os mais votados em eleições internas das instituições e rompendo uma tradição em vigor desde a década de 1990”.

Reitores e sindicatos estimam que o custo da criação de cada nova reitoria pode chegar a 8 milhões de reais por ano. Uma contradição, já que os IFs vêm sofrendo com cortes no orçamento que passam de 20%, resultando na falta de recursos para implementação de laboratórios, refeitórios e até mesmo bolsas para os estudantes.

“O orçamento hoje é proporcionalmente o mesmo de 2013, quando os Institutos não atendiam nem a metade dos alunos matriculados atualmente. E aí o MEC decide gerar mais gastos apenas com objetivos eleitoreiros, sem nenhuma preocupação com a realidade dos IFs”, diz Vaz.

Continua após a publicidade
Publicidade