Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Collor fica, Ferraço dança

Na dança das cadeiras nas comissões do Senado, sobrou para Ricardo Ferraço (Leia mais em: Levanta daí, Collor). A presidência do colegiado de Educação ficará mesmo com o PSDB. A Ferraço caberá à Comissão de Relações Exteriores. Ferraço preferiu não ir para a disputa de voto na Educação, contando que seus correligionários lhe garantiriam uma […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 06h49 - Publicado em 21 fev 2013, 16h28

Fora da Infraestrutura

Na dança das cadeiras nas comissões do Senado, sobrou para Ricardo Ferraço (Leia mais em: Levanta daí, Collor). A presidência do colegiado de Educação ficará mesmo com o PSDB. A Ferraço caberá à Comissão de Relações Exteriores.

Ferraço preferiu não ir para a disputa de voto na Educação, contando que seus correligionários lhe garantiriam uma das cadeiras que pertence ao PMDB: a da comissão de Infraestrutura. Ledo engano.

A cúpula peemedebista não quis se indispor com Fernando Collor, a quem estava prometido o comando da Infraestrutura. Ferraço ficou com a sobra, no caso, Relações Exteriores.

Uma coisa é certa: a decisão tem o dedo de Renan Calheiros. Resta saber se a opção por deixar Collor onde está é resultado de um acordo entre alagoano ou a primeira fatura paga pela lealdade de Renan com Gim Argelo, correligionário de Collor.

Continua após a publicidade
Publicidade