Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

CNBB critica perdão das dívidas de igrejas e nega lobby na sua aprovação

Reação católica a ação dos evangélicos cita ainda presença de "interesses particulares" nesse tema

Por Evandro Éboli - Atualizado em 13 set 2020, 12h53 - Publicado em 13 set 2020, 13h13

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) criticou a aprovação do polêmico projeto que perdoa dívidas de até R$ 1 bilhão de igrejas, em especial evangélicas.

A reação católica à proposta de iniciativa da bancada evangélica se deu numa nota. A entidade nega que tenha participado do lobby pela aprovação dessa emenda e critica a discussão “silenciosa” desse tema. E aponta interesses privados.

“Um tema tão complexo como o tratamento tributário dado às organizações religiosas não pode ser discutido de modo incidental e praticamente silencioso, sob o risco de surgirem interesses particulares que maculem a própria discussão”.

A CNBB fala ainda que deve ser combatido os eventuais abusos de toda e qualquer organização.

“A CNBB desde muito reclama tratamento adequado por parte do governo em relação a demandas históricas e até hoje não atendidas. Que isso se faça, portanto, separando os casos condenáveis daqueles que reúnem clamores legítimos e justos respeitando a verdade, a justiça e o bem social”, afirma nota assinada pelo comando da CNBB.

Continua nas mãos do presidente Jair Bolsonaro a sanção ou não desse perdão bilionário.

 

Continua após a publicidade
Publicidade