Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Chico Buarque, a mais nova saia-justa internacional de Bolsonaro

Cabe ao presidente assinar o diploma que chegou de Portugal e pagar metade dos 100.000 euros destinados ao vencedor do Prêmio Camões de literatura

Por Evandro Éboli - Atualizado em 20 Sep 2019, 09h35 - Publicado em 20 Sep 2019, 06h01

Jair Bolsonaro está diante de uma tremenda saia-justa internacional. Chefe de Estado brasileiro, ele deve assinar o diploma e pagar metade dos 100 000 euros dados pelo Prêmio Camões de literatura ao vencedor.

O problema é que o laureado desse ano é ninguém menos que Chico Buarque, o amigão de Lula. As três vias do diploma, assinadas pelo presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, já chegaram ao governo para ganharem o autógrafo de Bolsonaro e retornarem a Lisboa. Estão com Osmar Terra, a quem a Cultura está subordinada.

Chico foi escolhido em maio, por unanimidade, pelo júri formado por representantes do Brasil, Portugal, Moçambique e Angola. A cerimônia de entrega ainda será marcada, em Lisboa.

Na semana passada, o Itamaraty vetou a exibição de um filme sobre o cantor, compositor e escritor numa mostra de filmes no Uruguai.

Continua após a publicidade

Bolsonaro vai liberar o prêmio, sobretudo depois da visita que Chico fez nessa quinta a Lula na cadeia?

Publicidade