Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Carluxo chora durante sessão para cassar Doutor Jairinho

Vereador se solidarizou com a vida da criança torturada até a morte

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 30 jun 2021, 20h52 - Publicado em 30 jun 2021, 19h38

O vereador Carlos Bolsonaro, filho 02 do presidente Jair Bolsonaro, chorou na noite desta quarta-feira, 30, durante a sessão da Câmara dos Vereadores do Rio que deliberou sobre a cassação do mandato de Doutor Jairinho, preso no início de maio por torturar até a morte o menino Henry Borel, de quatro anos de idade, filho de sua namorada, a professora Monique Medeiros, também presa por acobertar as agressões à criança.

Carluxo participou da sessão plenária por meio de videoconferência e se mostrou solidário à vítima. Assim que recebeu o direito à palavra, o vereador não escondeu a emoção por conta do caso delicado da agressão cruel ao menino. Com voz embargada, ele disse que não tem filhos, mas que estava emocionado só de pensar em perder um ente querido. Ele disse que experimentou sensação semelhante quando seu pai sofreu um atentado a faca durante a campanha eleitoral de 2018.

Apesar de expressar sua emoção, o vereador mostrou-se preocupado com a possibilidade de as pessoas enxergarem suas lágrimas como sinal de fraqueza. “Vão pegar minha fala e vão distorcer. Vão falar que sou frouxo. Pelo contrário, quando a gente demonstra sentimento, a gente demonstra que tem coração e que temos a verdade conosco”, disse ele.

A cassação ao vereador, a primeira na história da Câmara do Rio, saiu por volta das 19h40. Dos 50 vereadores aptos a votar (o presidente da sessão não vota), 49 votaram por tirar o mandato de Jairinho. Carluxo votou a favor da perda do mandato.

Continua após a publicidade
Publicidade