Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Carlos Chagas vira ‘padroeiro’ de Queiroga ante negacionismo de Bolsonaro

'Quem está aqui tem de fazer como Carlos Chagas', diz o ministro, alvo de boicote constante do presidente da República nas ações contra a pandemia

Por Robson Bonin Atualizado em 10 jun 2021, 19h18 - Publicado em 11 jun 2021, 07h11

Depois de nove meses sem se reunirem com o Ministério da Saúde, os integrantes do Conselho Nacional de Saúde estiveram recentemente com o ministro Marcelo Queiroga. A última reunião havia sido em setembro, ainda sob a gestão de Eduardo Pazuello. No encontro, Queiroga defendeu a vacinação em massa, uso de máscara e demais medidas sanitárias.

Ao final do encontro, para surpresa da turma, chamou os conselheiros até a sua sala e mostrou um quadro do sanitarista Carlos Chagas, que ele instalou em seu gabinete.

“Chagas enfrentou uma pá de problemas. Eu trouxe ele para meu gabinete. Quem está aqui tem de fazer como ele”, diz  Queiroga, sem dar nome ao “problema”, claro.

Alvo de boicotes de Bolsonaro na Saúde — o último nesta quinta, com a medida contra o uso de máscara –, Queiroga tem formas sutis de se afastar do negacionismo palaciano.

Na reunião com integrantes do conselho, mostrar a foto de Chagas foi a forma que o ministro encontrou, na visão de um aliado do ministro, de mostrar de que lado está.

Continua após a publicidade
Publicidade