Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Câmara inova e mantém palavrões de Silveira nas suas notas oficiais

Xingamentos do deputado bolsonarista não foram excluídos dos anais da Casa, como sempre ocorre com grosserias de baixo calão

Por Evandro Éboli Atualizado em 21 fev 2021, 19h12 - Publicado em 22 fev 2021, 09h36

Os pesados ataques e xingamentos de Daniel Silveira (PSL-RJ) a ministros do STF foram repetidos pela relatora Magda Mofatto (PL-GO) no relatório no qual manteve a prisão do deputado bolsonarista.

Ela citou trechos integrais de algumas falas do colega, em especial os mais duros e que continham palavrões. E, para surpresa, esses adjetivos mais grosseiros e de baixo escalão foram mantidos nas notas taquigráficas da Câmara, que reproduziu a integralidade do relatório de Mofatto.

O que não é comum. Palavrões são sempre retirados dos anais da Casa.  Essas frases integrais ditas por Silveira e reproduzidas pela relatora foram as seguintes:

“Não é nenhum tipo de pressão sobre o Judiciário, não, porque o Judiciário tem feito uma sucessão de merda no Brasil. Uma sucessão de merda, e quando chega em cima, na Suprema Corte, vocês terminam de cagar a porra toda. É isso que vocês fazem. Vocês endossam a merda. Então, como já dizia lá Rui Barbosa a pior ditadura é a do Judiciário, pois contra ela não há a quem recorrer. E, infelizmente é verdade. O Judiciário tem feito uma sucessão de merdas. Um bando de militantes totalmente lobotomizados fazendo um monte de merda”

Outro ataque do deputado, durissimo feito contra o ministro Edson Fachin, foi lembrado pela relatora.

“O que acontece, Fachin, é que todo mundo está cansado dessa sua cara de filha da puta que tu tem, essa cara de vagabundo…várias e várias vezes já te imaginei levando uma surra, quantas vezes eu imaginei você e todos os integrantes dessa Corte…quantas vezes eu imaginei você na rua levando uma surra”.

Continua após a publicidade
Publicidade