Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Caetano Veloso perde ação contra Feliciano por acusação de pedofilia

Juiz diz que deputado exerceu direito de expressão; cantor foi à Justiça após publicação insinuar que ele teria cometido estupro contra Paula Lavigne

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 13 set 2021, 17h32 - Publicado em 13 set 2021, 17h21

A Justiça do Distrito Federal absolveu, nesta segunda, o deputado federal Marco Feliciano (Republicanos-SP) dos processos de difamação e injúria movidos contra ele pelo cantor Caetano Veloso.

O caso teve início após Feliciano ter sugerido, em 2017, que o artista teria cometido pedofilia contra Paula Lavigne — quando se conheceram, ela tinha 13 anos e, Caetano, 40.

“Por que o Ministério Público não pede a prisão de Caetano Veloso? Estupro é crime imprescritível”, diz a publicação do parlamentar, acompanhada de uma manchete que diz “Lavigne perdeu virgindade aos 13 com Caetano”.

Na decisão que julgou improcedentes as queixas-crime apresentadas pelo cantor, o juiz Nelson Ferreira Junior afirma que Feliciano estava em seu “exercício legítimo da liberdade de criticar” e que não houve a prática de crimes contra a honra.

O magistrado determinou a Caetano, ainda, o pagamento de 6 000 reais em honorários ao advogado do parlamentar.

Continua após a publicidade
Publicidade