Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bretas nega benefício a ex-todo-poderoso da Rio Ônibus

Segundo a Lava-Jato, Bueno embolsou ao menos R$ 16 milhões em desvios de passagens de ônibus

Por Ernesto Neves 24 jul 2019, 14h21

O juiz Marcelo Bretas negou nesta quarta (24) pedido feito pela defesa do ex-diretor da Rio Ônibus Éneas da Silva Bueno para que fossem encerradas as medidas cautelares contra ele.

Bueno foi preso preventivamente em 2017. Ele está em prisão domiciliar após habeas corpus concedido pelo ministro do STF Gilmar Mendes.

O MPF afirma que o executivo ajudou a chefiar esquemas de corrupção no setor de transporte público do Rio.

Segundo a força-tarefa da Lava-Jato, Bueno embolsou ao menos R$ 16 milhões em desvios de passagens de ônibus.

Continua após a publicidade
Publicidade