Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro terá que explicar declarações sobre fraudes a urnas ao TSE

Justiça Eleitoral também vai apurar a suposta existência de elementos que possam ter comprometido eleições de 2018

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 21 jun 2021, 19h27 - Publicado em 21 jun 2021, 19h19

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Felipe Salomão, determinou nesta segunda prazo de 15 dias para que Bolsonaro e outras autoridades que deram declarações sobre fraudes nas urnas eletrônicas apresentem evidências e informações que corroborem as falas.

Foi instaurado ainda, por portaria assinada pelo corregedor, procedimento administrativo para apurar a existência ou não de elementos concretos que possam ter comprometido os pleitos de 2018 e 2022.

Uma das declarações propagadas por Bolsonaro e que agora é colocada em xeque pela Justiça Eleitoral é a afirmação de que ele teria sido eleito no primeiro turno de 2018.

Publicidade