Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro queria apadrinhado de Flávio na PF

De pai para filho

Por Robson Bonin - Atualizado em 30 jul 2020, 19h28 - Publicado em 1 set 2019, 15h00

Delegados da Polícia Federal têm uma explicação simples para a trombada de Bolsonaro com a corporação, no caso da superintendência do Rio. O “filhotismo” do presidente queria alojar no órgão um apadrinhado de Flávio Bolsonaro — não colou.

Atualização, 1/9/2019, 18h — A assessoria da Polícia Federal entra em contato com o Radar para registrar a seguinte posição, sobre a nota: “A Polícia Federal desmente, de forma veemente, a informação de que o Presidente da República tentou interferir em nomeações da PF para interesse pessoal. A nota publicada pelo Radar é mais uma tentativa de criar intrigas nas relações pessoais e institucionais entre o Presidente da República, representantes do governo e da Policia Federal”.

O Radar mantém a informação.

Publicidade