Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bivar quer enfraquecer governo no Congresso, diz bolsonarista punido

Carlos Jordy afirma que deputados sancionados pelo PSL irão recorrer

Por Mariana Muniz - 3 dez 2019, 17h35

Punido pelo Diretório Nacional do PSL com 7 meses de suspensão das atividades partidárias, o deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ) chamou as sanções de “perseguição às pessoas leais” a Bolsonaro e a seus eleitores.

Vice-líder do governo, Jordy afirmou que os 18 deputados punidos irão recorrer para impedir o que chamaram de “arbitrariedade e autoritarismo”.

“A suspensão é um ato arbitrário de uma ala do partido que age como uma quinta-coluna numa guerra. Atacam o presidente e os deputados aliados a ele. Querem nos suspender para que não possamos assinar mais listas e assim tomar a liderança do Eduardo Bolsonaro, além de nos retirar das comissões, enfraquecendo o Governo”, disse o deputado, em nota.

 

Publicidade