Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após pressão, Ministério da Educação decide adiar Enem

Fontes afirmam que provas devem acontecer em janeiro; Inep promoverá consulta sobre nova data

Por Mariana Muniz Atualizado em 20 Maio 2020, 16h13 - Publicado em 20 Maio 2020, 15h18

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) acabam de decidir pelo adiamento da aplicação do Enem dos exames nas versões impressa e digital.

De acordo com nota oficial publicada no site do Inep, responsável pela elaboração e aplicação das provas, as datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao previsto nos editais. A nota diz que a medida foi tomada atendendo “às demandas da sociedade e manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus”.

ASSINE VEJA

Covid-19: Amarga realidade As cenas de terror nos hospitais públicos brasileiros e as saídas possíveis para mitigar a crise. Leia nesta edição.
Clique e Assine

No comunicado, o Inep afirma ainda que promoverá uma enquete junto aos inscritos para o Enem 2020, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante. As inscrições para o Enem 2020 seguem abertas até 23h59 desta sexta-feira, 22 de maio. Fontes ouvidas pelo Radar dizem que tudo indica que as provas devem ser realizadas em janeiro.

Na manhã desta quarta-feira, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, havia afirmado que “sugeriria” que a data do Enem fosse adiada “de 30 a 60 dias”.

A decisão de adiar o Enem ocorre um dia após o Senado aprovar o adiamento das provas. O projeto, contudo, ainda precisaria passar pela Câmara.

Continua após a publicidade
Publicidade