Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após gravação de Temer, Renan disse que Cunha mandava no governo

"A política se compreende pelos sinais", disse Renan na oportunidade

Por Pedro Carvalho 30 jun 2017, 10h29

Renan Calheiros parece ter previsto o teor da conversa que Michel Temer teve com Joesley Batista, na oportunidade em que o presidente, como concluiu a Polícia Federal, foi gravado “incentivando” a compra do silêncio de Eduardo Cunha.

O encontro aconteceu no dia 7 de março. No dia seguinte, Renan, em almoço com Moreira Franco, insinuou que Temer estaria sendo chantageado pelo ex-deputado.

Renan demonstrou irritação com as nomeações do deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o Ministério da Justiça, de André Moura (PSC-SE) como líder do governo no Congresso, e de Aguinaldo Ribeiro Ribeiro (PP-PB) para a liderança do governo na Câmara. Todos eram aliados de Cunha. 

O senador reclamou essa tomada de espaço de Eduardo Cunha no governo mesmo de dentro da prisão, antecipando o teor da conversa do presidente com o empresário “A política se compreende pelos sinais”, disse Renan. 

 

Continua após a publicidade
Publicidade