Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após atrito com Moro, Carla Zambelli vira “madrinha” da Cultura

E se consolida como uma "eminência parda" do governo, ainda que polêmica

Por Evandro Éboli 20 Maio 2020, 14h23

Mesmo sem cargo no Executivo, a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), não de hoje, assume a posição de uma eminência parda no governo.

Influente perante Jair Bolsonaro, Zambelli em duas semanas se envolveu na queda de dois importantes colaboradores do presidente: Sergio Moro e, agora, Regina Duarte. Foi ela quem ‘operou’ a saída da atriz da forma como se deu.

Já com o ex-ministro da Justiça, o desfecho foi outro. E deu ruim. Trocas de mensagens no celular comprovaram a carta branca que tem de Bolsonaro para agir, ainda que não teve o intento alcançado, de segurar Moro. E se viu obrigada a depor em investigação da Polícia Federal.

Do presidente, não herdou apenas o gabinete na Câmara e a galeria de fotos dos generais da ditadura. Mas também sua confiança para o livre acesso aos palácios do governo.

Continua após a publicidade
Publicidade