Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Anistia Internacional vai a Bolsonaro contra ruralistas na Amazônia

Relatório da entidade sugere que pecuária é principal impulsionadora de grilagens de terras na região

Por Mariana Muniz Atualizado em 26 nov 2019, 01h01 - Publicado em 26 nov 2019, 00h01

Relatório inédito lançado nesta terça-feira pela Anistia Internacional documentou como a atividade ilegal da pecuária na Amazônia contribui para o desmatamento e para conflitos violentos.

Segundo a organização, a criação de bovinos é a principal impulsionadora de grilagens de terras nas reservas e territórios indígenas da Amazônia brasileira.

Dados obtidos pela Anistia Internacional por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI) mostram que havia mais de 295 mil bovinos em territórios indígenas e áreas ambientalmente protegidas no estado de Rondônia em novembro de 2018.

Por ocasião da divulgação do levantamento, a entidade fará uma ação pública junto a lideranças indígenas em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, sede do governo federal.

Na atividade, serão entregues ao governo as mais de 160 mil assinaturas de uma petição global que exige que o governo Bolsonaro proteja a Amazônia e os direitos dos povos indígenas.

Continua após a publicidade
Publicidade