Clique e assine com 88% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Analista esperava abstenção ainda maior e prejuízo para Haddad

Não foi o que aconteceu

Por Pedro Carvalho - 30 out 2018, 11h35

Uma analista do Senado que faz parte do think tank do TSE esperava que a abstenção recorde trouxesse mais danos a Fernando Haddad, principalmente em estados-chave no Nordeste.

O petista teve bom desempenho na Bahia, Piauí, Ceará, Pernambuco, Paraíba e Maranhão. Como esses estados não tiveram segundo turno para governador, esperava-se que a abstenção fosse ainda maior, o que poderia prejudicar diretamente a candidatura do petista.

Não foi o que aconteceu. Na Bahia, por exemplo, Haddad venceu por ampla margem.

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade