Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Alvo do MP, ex-deputado do Rio é preso por esquema de rachadinha

Silas Bento e o filho, o candidato a vereador Vanderson Bento, são investigados por desvios de cerca de 250 mil reais em seu gabinete na Alerj

Por Mariana Muniz 23 out 2020, 08h39

O Ministério Público do Rio prendeu nesta sexta-feira o ex-deputado estadual Silas Bento e seu filho, o candidato a vereador por Cabo Frio Vanderson Bento, por um esquema de rachadinha em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio.

A operação “In Nomine Patris” foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO) em Cabo Frio, na região dos Lagos do Rio.

Na denúncia, os investigadores dizem que Silas implementou um esquema de “rachadinha” em seu gabinete contando com a participação de uma funcionária que repassava parte dos valores que recebia a Vanderson.

Ainda de acordo com a denúncia, Silas nomeou a funcionária em janeiro de 2017 com a condição de que ela não precisaria comparecer ao seu gabinete e repassaria ao deputado mensalmente, por meio de Vanderson, R$ 10 mil de um salário aproximado de R$ 11 mil.

Segundo o MP, durante os meses em que esteve nomeada como assessora parlamentar, de janeiro de 2017 a novembro de 2018, ela teria desviado, em proveito próprio e dos outros dois denunciados, dinheiro público consistente em sua remuneração recebida pela Alerj, causando, em consequência de sua conduta, um prejuízo ao erário de R$ 249.840,12.

Os três foram denunciados por organização criminosa e peculato. Já Silas foi denunciado também por lavagem de dinheiro e extorsão.

Continua após a publicidade
Publicidade