Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Alcolumbre começa a pesar nas costas do chefe do Senado

Chefe da CCJ segura há quatro meses a análise da indicação de André Mendonça ao STF

Por Robson Bonin 22 nov 2021, 09h12

A indicação de André Mendonça ao STF completou na semana passada quatro meses travada nas mãos de Davi Alcolumbre, o chefe da CCJ do Senado que sequestrou a pauta da comissão mais importante da Casa.

Quem apoia Mendonça nessa empreitada, diz que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, prometeu a meio mundo — dentro e fora do Congresso — resolver a coisa até a semana que vem, que será de esforço concentrado.

No STF, por exemplo, os ministros esperam que o negócio realmente avance e dão a palavra de Pacheco como garantia de que Alcolumbre liberará a pauta da CCJ.

O chefe do Senado, no entanto, costuma dizer que não interfere no trabalhos dos relatores e dos presidentes de comissões da Casa. É uma forma de livrar-se das pressões para que tratore os colegas.

O fato, no entanto, é que a coisa precisa andar na próxima semana, ou Pacheco receberá ainda mais críticas pelo que se passa na comissão mais importante do Senado.

 

Continua após a publicidade

Publicidade