Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Aécio devolve ataques de Virgílio: ‘figura irrelevante no PSDB’

O deputado mineiro diz que o ex-senador tucano disputa as prévias do partido como 'laranja' de João Doria

Por Robson Bonin Atualizado em 22 nov 2021, 18h49 - Publicado em 22 nov 2021, 18h37

Alvo de comentários pesados de Arthur Virgílio no fim de semana, Aécio Neves decidiu rebater o candidato tucano que disputa as prévias do partido contra João Doria e Eduardo Leite. Para o deputado mineiro, chamado de “maçã podre” por Virgílio, o ex-senador e ex-prefeito de Manaus vive o “triste desfecho para uma longa trajetória” política.

“Faz muito tempo que o Arthur Virgílio se transformou numa figura pouco relevante no PSDB, onde ninguém o leva muito a sério. Em 2018, já tínhamos visto esse filme, quando, sem qualquer apoio, se declarou candidato contra Alckmin em troca de alguma visibilidade, e, ao final, saiu desferindo ataques violentos ao candidato e ao partido”, diz Aécio.

“Mas poucos acreditavam que, dessa vez, ele se prestaria ao papel de linha auxiliar da candidatura de João Doria e, mais grave, com financiamento do partido para isso. Triste desfecho para uma longa trajetória. Por outro lado, eu até me diverti com a analogia com frutas que ele fez. Quando encontrá-lo vamos ter uma conversa no pomar. Da maçã do PSDB com o laranja do Doria”, segue Aécio.

O mineiro reforça o apoio a Eduardo Leite: “Essa história de querer levar o PSDB para o Centrão é mais uma falsa narrativa criada para desqualificar o apoio ao Eduardo Leite que muitos tucanos têm dado. O que eu e vários companheiros do PSDB queremos, é uma candidatura forte na terceira via que possa aglutinar outras forças da sociedade. E eu sinceramente não consigo enxergar no governador Doria esse nome. O Eduardo tem muito melhores condições de liderar esse campo. Por isso, acredito que a maioria do PSDB o apoia. Estou seguro que se tivesse havido votação ontem, Eduardo venceria com alguma folga”.

Continua após a publicidade

Publicidade