Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Acusada de escravidão doou a deputado que tentou flexibilizar CLT

Tucano propôs PL para diminuir multas em caso de irregularidades do empregador

Por Pedro Carvalho 30 out 2017, 06h26

Uma obra em Belo Horizonte, realizada pela construtora CCM, foi autuada pelo Ministério do Trabalho por empregar 40 trabalhadores em condições análogas à escravidão.

A CCM é uma doadora de valores para campanhas eleitorais. Em 2014, ela apoiou o deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) com uma doação singela: 15 mil reais.

O tucano, por sua vez, tem um projeto de lei que flexibiliza, justamente, direitos trabalhistas. O Projeto de Lei 6.787/2016  propõe reduzir o valor da multa de 6 mil reais para 3 mil reais por empregado não registrado. Além disso, para cada informação omitida pelo empregador, Sávio quer que a multa diminua de 1 mil reais para 100 reais.

“A presente emenda tem como objetivo desonerar o empregador, que já sofre com altos encargos tributários em sua atividade empresarial. Em um momento de crise e aumento do desemprego não devemos trazer mais custos para as empresas, que são a fonte de emprego e renda dos brasileiros”, diz o deputado na justificativa do PL.

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade