Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ação de embaixadora contra Jean Wyllys foi discutida com Itamaraty

Maria Nazareth sugeriu o envio de um diplomata graduado, mas nem o governo imaginou que ela mesmo iria

O episódio envolvendo a embaixadora Maria Nazareth Farani Azevedo e o ex-deputado Jean Wyllys, que terminou em bate-boca na ONU,  não foi algo impensado.

Antes de seguir para o local onde o antigo parlamentar do PSOL faria uma fala sobre o Brasil, Nazareth discutiu o assunto com o Itamaraty. Pediu instruções.

Num telegrama a Brasília, ela defendeu que deveria ser enviado um diplomata graduado ao evento, mas nem o Itamaraty imaginou que ela própria se destacaria para o enfrentamento com Jean.

A embaixadora foi cotada para ser a chanceler. Se Ernesto Araújo balançar no cargo, ela volta ao páreo. Ela ganhou um cabo eleitoral neste final de semana: a ministra Damares, que foi para as redes sociais rasgar elogios.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Oliver Winer

    Jean Wyllys,pare de nos envergonhar.

    Curtir

  2. Luiz Pegorer

    Administração planejou “bate boca” (conhecido “barraco”) no exterior. Por que não estranho vindo de quem só ataca e se defende por fake news?

    Curtir