Clique e assine com 88% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Aberto de tênis do Rio será neutro em carbono

Emissões serão zeradas pela Engie, patrocinadora do Rio Open

Por Mariana Muniz - Atualizado em 11 fev 2020, 15h09 - Publicado em 11 fev 2020, 14h09

O Rio Open, maior evento de tênis da América do Sul e único da ATP no Brasil, será, pela primeira vez, neutro em emissões de CO2 por meio da doação de crédito de carbono da ENGIE e de outras ações da organização do evento. A parceria compensará cerca de 1.080 toneladas de gases estufa, o que corresponde ao plantio de 6.600 mil árvores por ano.

Os créditos de carbono são gerados pela Usina Hidrelétrica de Jirau, Sociedade de Propósito Específico que tem como acionistas a ENGIE (40%), Eletrobras Eletrosul (20%), Eletrobras Chesf (20%) e Mizha Participações S.A. (20%).

As emissões do Rio Open foram estimadas considerando todas as etapas do evento, da montagem à desmontagem, o o deslocamento de atletas e equipe técnica e o consumo adicional da energia elétrica pelo Jockey Club Brasileiro durante o torneio, que acontece de 15 a 23 de fevereiro, no Rio de Janeiro. Ao final do evento, será feito o balanço final das emissões, chegando ao número efetivo da quantidade de CO2 a ser neutralizada.

Publicidade