Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A missão do novo líder do governo na Câmara não é nada fácil

Experiente, Ricardo Barros chega com a tarefa de abrir alguma margem de negociação para o governo na pauta de Rodrigo Maia

Por Robson Bonin Atualizado em 16 ago 2020, 14h31 - Publicado em 16 ago 2020, 14h14

Novo líder do governo, o deputado Ricardo Barros, do PP do centrão, assumirá o cargo com uma tarefa nada modesta: “Ele vai dominar a pauta da Câmara”, diz um ministro.

Será que Rodrigo Maia vai deixar?

Barros é político experiente, já foi ministro da Saúde e, apesar de todos os enroscos judiciais, segue firme. Aliados de Bolsonaro acreditam que ele saberá melhorar o ambiente de negociações para o governo durante votações da Casa.

Barros, que já esteve nesse cargo em outros governos, sabe que precisa de autonomia e de força do Planalto para fazer seu trabalho.

No dia a dia da Casa, o líder do governo é procurado por deputados para tratar de uma infinidade de demandas. Em nome do Planalto, ele diz o que pode ou não ser atendido. É essa capacidade de cumprir o que promete que torna o trabalho do líder algo efetivo.

Líder que faz acordo e não entrega perde força de influência e costuma ter vida curta na Casa — e acaba como Vitor Hugo.

Continua após a publicidade
Publicidade