Clique e assine com 88% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A aflição de Eduardo Bolsonaro para se livrar de um incômodo na Câmara

Deputado mobilizou a base do governo para derrubar requerimento da oposição

Por Evandro Éboli - 12 set 2019, 10h15

Durante sessão da Comissão de Relações Exteriores, que preside, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) fez um esforço para derrubar ontem um requerimento da oposição que o incomodava, que o fez mobilizar a base do governo e até de outros partidos, como o PSDB.

Para derrotar o pedido, Eduardo esperou uma hora e meia que a comissão tivesse o quórum mínimo de vinte deputados aliados, que votaram contra. Até completar esse limite, ele e outros estavam pendurados em seus celulares convocando a turma urgentemente.

Dois deputados do PSOL – Ivan Valente e Glauber Braga – queriam uma audiência com Alexandre Giordano e Kleber Ferreira para tratarem ali do escândalo recente envolvendo o acordo entre Brasil e Paraguai sobre Itaipu.

Ferreira é presidente da empresa brasileira Léros, citada no caso. E Giordano, que é primeiro suplente do senador Major Olimpio, teria estado naquele país representando a família Bolsonaro.
Matéria do O Globo trouxe que Eduardo Bolsonaro teria relações com Giordano e teria ido ao Paraguai tratar do assunto. Ele nega.

“Essa notícia foi uma fake news. Tudo na minha vida é público. Tive com o filho do presidente do Paraguai, sim, mas postei até a foto na minha rede social. É uma tentativa forçada de me vincular a um caso que não tem nada a ver comigo” – disse o filho do presidente.

Publicidade