Clique e assine a partir de 8,90/mês
Publicidade
Paulo Cezar Caju Por Paulo Cezar Caju O papo reto do craque que joga contra o lugar-comum
É estranho que sites de aposta patrocinem clubes de futebol
Num campeonato repleto de times que só pensam em desarmar, jogar bonito virou sinônimo de irresponsabilidade
Clube mineiro é gigante e deveria ser uma das marcas mais valiosas do mundo, mas está sendo dizimado por cartolas
Treinadores, caprichem na pimenta e no afrodisíaco: nossa torcida, mesmo que virtual, merece algo bem melhor
Ao falar dos tropeços dos favoritos, é preciso também reconhecer o valor dos adversários. Atlético-GO, Goiás e Sport tiveram méritos nesta rodada
Coudet, Domè, Sampaoli, Sarrafiore, Cano, Arrascaeta, Kalou e companhia têm muito a acrescentar ao nosso pobre campeonato
No país que desconfia até da urna eletrônica, por que confiaríamos no árbitro de vídeo?
Lewandowski e Neymar não jogaram bola o suficiente para ganhar o prêmio; se tivesse que escolher, meu voto seria para o goleiro Neuer
O PSG tem Neymar, o jogador mais técnico e que pode desequilibrar. Torcemos para isso, mas não será uma tarefa fácil
Buscar inspiração neste cenário será uma tarefa árdua e não consigo prever um favorito
Venho destacando Tiago Nunes e Vanderlei Luxemburgo há algum tempo, mas Corinthians e Palmeiras não apresentaram nada de bom nesse tal "novo normal"
Apresentador carregava uma pureza, um ar juvenil e misturava música e esporte como em uma roda de amigos. Sua partida é inaceitável
Para quem me pergunta quem será campeão do Paulistão, digo o seguinte: vou torcer para algum time do interior. Vai ser bom para dar uma renovada
É inegável: o português fez um ótimo trabalho no Flamengo. Mas não deixa de ser um técnico mediano, que estava na hora certa e no lugar certo
Treinador italiano da Atalanta não carrega títulos no currículo, mas sabe armar um time e detectar os pontos fortes de cada jogador
Finalmente entendi uma das bobagens em "Titês" que os jornalistas amam e comentam como se fosse a nova revolução da bola
Na retomada do futebol, muitos gols perdidos e estrelas fora de forma. E assim vamos nos iludindo com o “novo normal” - ou “me engana que eu gosto” da bola
Uma das grandes felicidades que o futebol me proporcionou foi a de conhecer pessoalmente o craque do Flamengo, Barcelona, Real Madrid e da minha infância
Faço aniversário no mesmo dia que o Maracanã, o local onde fui mais feliz, como torcedor e jogador
Publicidade