Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Paraná Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens paranaenses. Por Guilherme Voitch, de Curitiba

Chapa de Cida no PR terá Richa e Canziani candidatos ao Senado

Falta o nome do vice para definir chapa governista; o mais provável é que o o nome venha do PSDB

Por Guilherme Voitch Atualizado em 30 jul 2020, 20h32 - Publicado em 16 mar 2018, 08h26

A chapa da vice-governadora Cida Borghetti (PP) para o governo do estado está praticamente definida e será completa, com dois candidatos ao Senado. Um deles é o governador Beto Richa (PSDB), que deixa o cargo no próximo dia 7 de abril. Publicamente, Richa ainda faz mistério sobre sua saída do governo, mas a decisão já está tomada. O governador, inclusive, tem intensificado as agendas no interior nas últimas semanas, já em ritmo de campanha.

O outro candidato ao Senado será o deputado federal Alex Canziani (PTB). Segundo mais votado do estado para a Câmara em 2014, com 187 mil votos, Canziani chegou a ser cotado para ocupar o Ministério do Trabalho no governo Temer. Para fechar a chapa governista falta ainda a definição do vice de Cida. As negociação indicam que um tucano deve ocupar o posto.

Richa e Canziani têm, até o momento, o senador Roberto Requião (MDB) como principal adversário. Requião chegou a ensaiar uma candidatura ao governo, mas o mais provável é que dispute o Senado e apoie o pedetista Osmar Dias para o governo.

Mais nomes

Pelo lado do deputado estadual Ratinho Júnior (PSD), ainda não há definição de nomes para o Senado. O deputado estadual Ney Leprevost (PSD), que foi para segundo turno na eleição para prefeito em Curitiba, há dois anos; e o ex-deputado federal Paulo Martins (PSC), ligado ao MBL, são vistos como alternativas.

Continua após a publicidade

Publicidade