Clique e assine a partir de 9,90/mês
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O mistério de Alcolumbre

Silêncio suspeito

Por Ricardo Noblat - Atualizado em 30 jul 2020, 19h48 - Publicado em 18 abr 2019, 08h00

O Senado dispõe de um moderno parque gráfico que, entre outras coisas, imprime tudo que lhe pede cada um dos 81 senadores, quase sempre material de divulgação de suas atividades.

Mas David Alcolumbre (DEM-AP), atual presidente do Senado, preferiu gastar R$ 1 milhão da verba do seu gabinete para contratar os serviços de três pequenas gráficas em Brasília.

Foi entre 2014 e 2018. E o setor de Transparência do Senado, há três meses, recusa-se a fornecer ao jornal O Globo as notas fiscais apresentadas por Alcolumbre para justificar a despesa.

O que levou o senador a dispensar o uso do parque gráfico do Senado? Isso também ninguém está autorizado a responder. Pouca coisa se sabe sobre o uso das gráficas externas.

Sabe-se que à Arte e Imagem Gráfica, empresa do tamanho de uma sala de reuniões, Alcolumbre pagou R$ 256.980,00 em 2017. O dono da gráfica não se lembra dele nem do serviço.

As outras duas gráficas ocupam um mesmo endereço. Uma em nome de Luiz Flavio Moreira, a outra em nome da mãe dele. Na primeira, os serviços totalizam R$ 492 mil. Na segunda, R$ 279.580,00.

O jornal perguntou a Alcolumbre: Qual serviço foi prestado por cada uma dessas gráficas? Qual material foi impresso? Com qual finalidade? Qual a tiragem?

Ele se nega a responder.

Continua após a publicidade
Publicidade