Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

10 erros que você pode evitar quando for a Las Vegas

Num lugar tão diferente de tudo que você conhece, veja algumas dicas para evitar que você perca tempo, dinheiro e não aproveite a cidade ao máximo

Diz o ditado que “o que acontece em Las Vegas fica em Las Vegas”.

Algumas coisas é melhor que fiquem mesmo … Já outras é bom compartilhar para evitar que outras pessoas cometam o mesmo erro, certo?

Las Vegas é diferente de tudo que você conhece. É até difícil explicar. Conheço muita gente que tinha preconceito com a cidade, foi e amou. E com Vegas é meio ame ou deixe-a. Não tem muito meio termo.

Eu sou da turma que ama, apesar de achar um lugar completamente estranho. Mas eu gosto de lugares estranhos e onde eu possa admirar a “fauna local”, de é que vocês me entendem, hahaha.

Já fui a Vegas quatro vezes. A primeira, acreditem se quiserem, foi para um casamento. Calma que a história fica melhor. Não apenas era um casamento em Vegas como o “padre” era ninguém menos que o Elvis. Juro! Não achei nenhuma foto pra provar, mas podem acreditar. Depois disso voltei outras três vezes e voltaria amanhã se pudesse.

Vegas é o tipo do lugar onde é fácil cometer erros (e não estou nem falando do povo que bebe e casa, de quem perde uma grana violenta nos cassinos, etc). Como é muito diferente de tudo, a gente acaba ficando meio perdido. Mas depois de aprender com os erros das primeiras vezes, fiz uma lista com dez erros comuns e fáceis de evitar quando você for a Las Vegas.

1. Não ficar hospedado na “Strip”

Para quem nunca foi, a “Strip” é aquele pedaço do Las Vegas Boulevard onde fica a maior parte dos hotéis, cassinos e restaurantes da cidade. Ela tem mais ou menos 7 km de extensão e é lá que você quer se hospedar. Quanto mais no meio da “Strip”, melhor, assim é mais fácil de se locomover para um lado ou para o outro. Em compensação, quanto mais para as “beiradas” você se hospedar, menos vai pagar. Ao contrário do que muita gente imagina, se hospedar em Vegas não é caro. Claro que se você reservar uma daquelas suítes de filme vai ter que abrir a carteira. Mas se a ideia for um quarto standard você vai pagar bem menos do que pagaria em Nova York, São Francisco, Miami… Basta ver a quantidade de hotéis e quartos disponíveis na cidade para entender a lógica. Apesar de ter ido quatro vezes, já fiquei em pelo menos sete hotéis diferentes para poder conhecer vários. Os quartos são sempre grandes, confortáveis e recebem até quatro pessoas geralmente. Entre os meus favoritos estão o Bellagio, o Mirage e o Caesar’s Palace.

2. Não alugar um carro

Assim como se hospedar em Vegas é barato em comparação a outras cidades americanas, alugar carro por lá também é bem em conta. Apesar de a parte que interessa da cidade se concentrar na “Strip”, ir de um lugar para o outro pode ser demorado e cansativo pois as coisas não são tão perto como parecem. Além disso, você vai precisar do carro depois de ler o próximo item da minha lista  Outras vantagens de se alugar um carro em Vegas é que boa parte dos cassinos e shoppings oferecem estacionamento gratuito (se bem que li que alguns iam começar a cobrar uma quantia simbólica a partir da segunda hora em 2017) e pegar um carro no aeroporto é super prático. Ao deixar o terminal existe um edifício onde todas as locadoras e seus estacionamentos estão localizados. Super prático e conveniente.

3. Não sair da “Strip”

Se você vai passar dois ou três dias em Vegas, tudo bem ficar só na “Strip” e aproveitar o que a cidade tem de melhor. Mas se você tem mais que isso, vale a pena dar uma volta na região. A primeira dica é ir até o Grand Canyon, que fica a pouco mais de duas horas de lá. É imperdível. Eu passei a noite lá porque queria explorar melhor o parque e valeu super a pena. Mas se você tem pressa, dá pra fazer um bate e volta. Outro passeio legal é a Hoover Dam (foto), aquela represa que aparece no filme do Super Homem (o original mesmo…).

É impressionante e vale uma parada lá. Fica apenas 56 km ao sul de Vegas.

E para quem gosta… compras! Existem dois outlets legais perto da cidade. O Las Vegas North Premium Outlet e o Las Vegas South Premium Outlet. Um pouco mais longe (uns 40 minutos ao sul) ainda tem o Fashion Outlets of Las Vegas (que eu prefiro).

4. Comer mal

Esse é um pecado grave 😉 Pense num chef famoso e pá… ta lá o restaurante dele em Las Vegas. Se você (como eu) assiste ao Food Network, então, vai encontrar restaurantes de todos aqueles chefs por lá. Tom Colicchio (Top Chef), Giada de Laurentiis, Bobby Flay, Nobu, Wolfgang Puck, Emeril Lagasse, Mario Batali, Gordon Ramsay (odeio, mas a comida é demaaaaaais), Joël Roubuchon… A lista é gigante. Cada hotel/cassino oferece uma variedade enorme de restaurantes e é até difícil escolher. Dependendo da época do ano e da hora que você for jantar, porém, recomendo fazer reserva pois as filas podem ficar enormes. E peloamor, nada de McDonald’s em Vegas, ok?

5. Andar de táxi

Já falei que o melhor jeito de se locomover em Vegas é com um carro alugado, né? Mas se você planeja ir para a balada ou quer tomar uma garrafa de vinho no jantar, melhor não sair de carro. Mas não recomendo pegar táxi por lá… primeiro porque, assim como acontece em algumas cidades por aqui, alguns taxistas adoram fazer caminhos mais longos até chegar ao destino, sabe? Fora isso as filas nas portas dos cassinos/hotéis podem ser quilométricas a espera de táxis. Eu apostaria no Uber (ou Lyft, que é super popular nos EUA também) ou, dependendo do lugar que você for, no Monorail que fica na “Strip”.

6. Não aproveitar as coisas de graça

Você não necessariamente precisa gastar dinheiro para se divertir em Las Vegas. Dá pra fazer várias coisas sem gastar um centavo! A minha favorita é simplesmente passear pelos hotéis, ver os diferentes cassinos e observar as pessoas. É sempre super divertido e os cassinos são bem diferentes entre si. O Venetian, por exemplo, imita Veneza e tem gôndolas dentro do hotel. O Mirage tem um jardim interno gigantesco. E por aí vai. Além disso você tem que assistir ao menos uma vez o show das fontes de água do Bellagio (os horários você acha aqui). Tem também o vulcão do Mirage (brega, já aviso), dá pra visitar os flamingos no hotel de mesmo nome, entre outras atrações gratuitas.

7. Não saber das “resort fees”

Tudo que é bom tem um preço, né? E, apesar de os hotéis em Vegas serem relativamente baratos, como eu falei, eles cobram uma tal de “resort fee”, que é uma taxa por serem resorts. Ou seja, preste atenção na linha fina ao fazer a sua reserva para não ser surpreendido com US$ 200 a mais na sua conta na hora de fazer o checkout. Neste site aqui você digita o nome do hotel e ele te fala quanto custa a “resort fee” e ao que você tem direito. Vale conferir antes de reservar!

8. Não pedir um upgrade

Perguntar não ofende, certo? Com tantos quartos disponíveis, os hotéis em Las Vegas costumam ser generosos com seus hóspedes e não é incomum você receber um upgrade na hora de fazer o checkin. Se não for este o seu caso, pergunte educadamente se eles não podem fazer um upgrade para você. Um sorriso no rosto e uma boa justificativa para a viagem (lua de mel, aniversário ou outra comemoração), contam pontos. O pior que pode acontecer é você ouvir um não.

9. Pagar caro por shows

A maioria das pessoas que vai a Las Vegas quer assistir a pelo menos um show. Eu confesso que, tirando o Cirque du Soleil, nunca tive muita vontade de gastar meus dólares em nenhum outro… Assisti a três deles por lá e amei todos, achei que super valeu a pena. Maaaas, em geral, os shows em Vegas são caros. Maaaas, saiba também, que é possível conseguir ingressos mais baratos e às vezes até de graça. Tente cupons (eles distribuem aquelas revistinhas com vários deles nos hotéis e na “Strip”) ou então vá ao tix4tonight.com que sempre tem boas promoções. Vale super a pena!

10. Não se vestir adequadamente

Sim, Las Vegas fica no deserto mas não é quente o tempo todo não. Muito pelo contrário. Pode ficar bem frio por lá, especialmente à noite. Então vá preparado e escolha roupas adequadas. Lembre-se que se você pretende ir a shows, clubes e restaurantes finos é bom levar uma roupinha mais apresentável. Para as mulheres, vale investir alguns minutos escolhendo o sapato mais adequado pra você não correr o risco de acabar como neste vídeo hilário que vi na internet outro dia ou cheia de bolhas nos pés (se as pernas forem seu meio de transporte escolhido). Bom senso!

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. “de é que vocês me entendem”, “se é…”. Confesso que nunca me interessei por Vegas, mas pode se tornar uma opção conhecer esta icônica cidade americana.

    Curtir

  2. Táxi/s tem/têm acento.
    Tanto a palavra quanto o automóvel.
    Ou é a Novíssima Nova Língua Portuguesa?
    Bons tempos quando usávamos lápis.

    Curtir

  3. Guitardo Songs

    Até que enfim uma matéria decente nessa bosta de revista.

    Curtir

  4. Rodrigo Garcia

    Las Vegas é fantástica! Tudo é envolvente e grandioso. O Caesar’s Palace e o Venetian são de chorar pela beleza, arquitetura e variedade de diversões. Nunca vi coisa igual. E carro alugado é indispensável, tendo estacionamento gratuito em todos os hotéis. Com o carro pode se locomover e carregar compras dos outlets distantes. Esqueça o resto do mundo. Las Vegas rules.

    Curtir

  5. Não recomendo alugar carro, a não ser que queira ir para o Grand Canyon, fomos em fevereiro deste ano e usamos só uber e lyft (uma empresa como o uber, mas era mais barato que o uber), ficou bem mais em conta do que alugar carro, e quase todos os hotéis tem uma área especial para este tipo de carros compartilhados…

    Curtir

  6. Tatiana Cunha

    Valeu pela dica, Luciana 😉

    Curtir

  7. Tatiana Cunha

    Também sou super fã, Rodrigo!

    Curtir

  8. Tatiana Cunha

    Corrigido, Cesar. Obrigada.

    Curtir