Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Modo Avião Por Tatiana Cunha As dicas certeiras de turismo e os lugares incríveis do planeta para você planejar sua próxima viagem

10 coisas para NÃO fazer em Paris

Como não perder tempo em filas, cair em armadilhas para turistas, gastar dinheiro sem necessidade e outras coisas que você precisa saber antes de viajar

Por Tatiana Cunha Atualizado em 30 jul 2020, 21h03 - Publicado em 25 jan 2017, 15h10

Paris

Ah, Paris…
Sempre que me perguntam as cidades que mais gosto no mundo começo com: “Bom, tirando Paris…”
Nenhum outro lugar do mundo, pra mim, se compara à cidade luz. Paris é bela, charmosa, especial. Acho que nunca vou me cansar de ir para lá. Cada vez que vou descubro uma coisa diferente, um lugar que ainda não tinha visitado e sempre me encanto mais com seus encantos.

Demorei muito tempo para conhecer Paris. Mas depois que fui pela primeira vez não parei mais de voltar. Por sorte, minha irmã morou lá dois anos, então sempre tinha a desculpa perfeita para fazer uma paradinha extra a cada viagem.

Mas tanta beleza, tantas atrações, tantas informações podem tornar a cidade um pouco intimidadora à primeira vista. E fazer com que muita gente acabe caindo nas típicas armadilhas para turista como acontece em toda grande metrópole do mundo.

Longe de querer me declarar uma especialista em Paris, mas tendo visitado a cidade incontáveis vezes, fiz uma lista com 10 coisas que você NÃO deve fazer quando estiver por lá. Seja em sua primeira ou 18a visita à cidade.

Você que já foi, concorda comigo?

1. Não fuja dos clichês

Torre Eiffel

Se você quer aproveitar Paris a fundo, precisa estar preparado para aproveitar alguns de seus clichês. Nenhuma viagem para lá é completa sem que você prove um verdadeiro croissant, um pain au chocolate ou uma baguete recém saída do forno. Ou que faça um pic-nic no gramado ao lado da Torre Eiffel com queijos e vinhos comprados no supermercado da equina. E um passeio de barco pelo rio Sena? Isso sem falar no crepe de Nutella… Sim, são clichês, mas tem que fazer!

2. Não deixe de falar bonjour
Quantas vezes você já não ouviu alguém reclamar que os franceses (ou mais especificamente os parisienses) são mal-educados e ranzinzas? Experimente começar dando bonjour ao entrar no ônibus, no restaurante ou na loja. Você vai reparar como a atitude deles vai ser diferente. Você pode não falar mais uma palavra de francês (se bem que merci é outra fácil e que eles apreciam muito), mas ao começar qualquer frase com bonjour vai fazer você rever seus conceitos. É como uma senha secreta para receber um tratamento melhor.

3. Não pague por água
Essa eu demorei um pouco para aprender, mas depois que soube meu bolso agradeceu. Se você não fizer questão de tomar água mineral dos alpes durante suas refeições, o segredo é pedir ao garçom uma “carafe d’eau”, que nada mais é que uma garrafa de água da torneira, que em Paris é potável. Pagar seis euros ou mais por uma Evian? Nunca mais!

4. Não fuja do transporte público, especialmente do metrô

Paris

Continua após a publicidade

Em Paris você chega a qualquer lugar de metrô. É incrível a quantidade de estações espalhadas por toda a cidade e os subúrbios. Pegar táxi ou alugar carro na cidade é uma roubada. O trânsito é ruim e os estacionamentos, caros. Em Paris é possível comprar passes para um dia, três ou uma semana que te dão direito a usar trens, ônibus e metrô livremente ou também é possível pagar pelas viagens individualmente ou comprar pacotes de dez viagens, por exemplo. Para quem vai passar mais de um dia super vale a pena comprar os maiores. Você viaja quanto quiser e não tem que se preocupar. Como eu falei, se você tem pressa para chegar nos lugares, o melhor é apostar no metrô ou nos trens (RER). Os ônibus são bons para trajetos mais curtos ou se você está sem pressa e quer aproveitar para ver a paisagem. Já peguei muito ônibus até o ponto final só pra ficar admirando a cidade…

5. Não fique longe para economizar uns trocados
Paris não é das cidades mais baratas do mundo para se hospedar, é fato. Mas ficar super longe só para economizar 10 ou 20 euros pode não valer a pena. O que você vai gastar de transporte e o tempo que vai perder podem realmente não compensar. Hoje em dia, especialmente com o “advento” do Airbnb é possível ficar em locais mais centrais sem gastar muito com isso. E ficando num apartamento, por exemplo, você pode economizar nas refeições, fazendo uma ou duas em casa mesmo. Para quem nunca foi a Paris, minha dica é não se hospedar do lado de fora da Périphérique, uma espécie de rodoanel que envolve a cidade. Passou dele começa a ficar longe.

6. Não faça suas refeições nas regiões turísticas

Notre Dame

Se você acha que qualquer restaurante em Paris é digno de uma estrela Michelin está muito enganado. Muito pelo contrário. É fácil comer mal e pagar caro na cidade. Para evitar isso, fuja dos restaurantes nas zonas mais turísticas da cidade. Evite as redondezas da Torre Eiffel, da Champs-Élysées, Notre Dame, Montmartre, entre outras. O que não falta nestes lugares são armadilhas para turistas. Comida ruim e cara. Ao invés disso, pesquise na internet e vá em pequenos bistrôs e restaurantes frequentados por locais. Bons lugares para encontrar comida boa e acessível são o Marais e a Île Saint-Louis.

7. Não fique na fila para subir na Torre Eiffel
Não estou dizendo aqui para você não subir na Torre, peloamor! Tem que subir, pelo menos uma vez na vida. Mas se você tem uma condição física razoável não precisa perder tempo nas intermináveis filas que se formam embaixo da torre. Você pode fugir delas subindo até o primeiro andar da torre e pegar o elevador de lá. Ok, são 328 degraus até lá, mas pense que você poderá comer aquela éclair de chocolate maravilhosa sem culpa depois. Outra maneira de não perder tempo na fila é reservando uma mesa no Le Jules Verne, restaurante do mega famoso chef Alain Ducasse, que fica no segundo andar da torre. Mas para isso você vai ter que abrir o bolso… Pelo almoço de três pratos tem que desembolsar € 98 ou € 185 pelo jantar. Sem as bebidas claro. Mas você terá direito a um elevador VIP, sem fila nenhuma 😉

8. Não tenha medo de se perder

Paris

Para conhecer Paris de verdade e entender melhor a cidade é preciso sair dos lugares mais populares e se perder por suas ruazinhas e bairros. Sempre que vou a Paris reservo um tempo para “me perder”. Escolho uma estação de metrô, desço e começo a andar sem mapa, indo para onde meus olhos e minha curiosidade me chamam. E não tem erro, sempre encontro coisas diferentes e 200 metros depois outra estação de metrô, hahaha. Paris é cheia de cantinhos para serem descobertos e a maioria deles você não vai achar em guias turísticos e sim explorando de verdade a cidade.

9. Não tente fazer coisas demais
Paris é uma cidade grande e tem milhares de lugares para serem explorados. Nem que você fique uma semana inteira por lá vai conseguir fazer e ver tudo. Então escolha algumas coisas que você não quer deixar de visitar e dê prioridade a elas. Tentar ir a dois museus, subir na Torre Eiffel, fazer compras na Rue Cambon e visitar o Père-Lachaise em um dia não vai rolar. Programe-se antes e tente separar os passeios por região, mas sempre deixe um tempo extra para o item acima (se perder). E relaxe, porque você vai embora com a sensação de que ficou faltando muita coisa _e certamente ficou mesmo.

10. Não perca tempo na Champs-Élysées

Arco do Triunfo

Lembra quando fiz o post sobre as coisas para não se fazer em NY e falei da Times Square? Pois então, em Paris é a mesma coisa com a Champs-Élysées… Tem que ir? Se você nunca foi, tem. Senão não precisa voltar, sinceramente. Sim, a vista do Arco do Triunfo é linda, mas a avenida hoje é tomada por lojas de marcas internacionais sem personalidade alguma e poderia estar em qualquer grande cidade do mundo. Os restaurantes são caros, estão sempre lotados e dependendo da época e da hora que você vai é até difícil andar de tanta gente. Para uma experiência mais parisiense, gaste a sola do sapato em lugares como o Boulevard Saint-Germain, a rue Montorgeuil, o Boulevard des Capucines ou a rue Saint Honoré, só para citar algumas.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade