Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Tirem as crianças da sala. O Bolsonaro chegou

Palavrões e linguajar chulo o colocam como o presidente mais mal-educado da história do país. Mas os conservadores dizem que ele vai salvar a família

Por Matheus Leitão Atualizado em 28 jan 2021, 11h30 - Publicado em 28 jan 2021, 11h00

Conservadores acreditam que palavrão é feio, mau exemplo para as crianças e “destrói as famílias brasileiras” somente se vier da boca do Youtuber Felipe Neto. O presidente da República, Jair Bolsonaro, pode tudo, não precisa dar exemplo nenhum para as crianças?

Nesta quarta, 27, ele teve mais um surto contra a imprensa brasileira e, durante um almoço numa churrascaria, mandou todos à “puta que o pariu” e pediu aos jornalistas “de merda” que enfiassem latas de leite condensado “no rabo”. Teve um “porra” no meio da frase também.

A coerência zero dos conservadores brasileiros – formada em grande parte por pastores evangélicos, católicos radicais, empresários e militares – já havia vindo à tona nas eleições de 2018, quando o palavreado chulo de Bolsonaro foi exposto em rede nacional e em redes sociais. Uma coisa, contudo, eram as palavras torpes de um candidato. Outra é a boca depravada do presidente da República.

Jair Bolsonaro diz repetidamente um mantra que os conservadores adoram: “é preciso preservar a inocência de nossas crianças”. Que inocência é essa que o presidente tanto desrespeita dia após dia na porta do Palácio da Alvorada e em diversas solenidades públicas?

Em meio aos inúmeros palavrões do presidente desbocado, Bolsonaro fez até piada com cunho sexual na frente de uma Youtuber mirim em uma live. “Começou cedo? Como é que é?”, disse o presidente, com um sorriso no rosto, ano passado.

Ele também é declaradamente contra o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que tem o objetivo de proteção integral dos mais jovens. Na sua opinião, contudo, estimula a “vagabundagem e a malandragem infantil”.

Os mesmos conservadores que batem palma para o presidente que xinga e manda jornalistas enfiarem uma lata “no rabo” criticam vídeos de Felipe Neto de cinco, seis, sete anos atrás, porque eles têm, vejam vocês, muitos palavrões.

Para os conservadores, Bolsonaro pode tudo. Eles enchem a boca para dizer que o presidente é “profeta”, como disse o pastor-ministro da Justiça, André Mendonça, e veio “salvar” a família brasileira. Só não se sabe que família será essa. Talvez a própria.

Continua após a publicidade
Publicidade