Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

O que revela a foto de Bolsonaro em Nova York 

Presidente come pizza na rua por não estar vacinado: é o retrato do comportamento indigente do governo

Por Matheus Leitão 20 set 2021, 10h47

A foto que circula na internet do presidente Jair Bolsonaro e alguns ministros comendo pizza nas ruas de Nova York é o retrato claro do comportamento indigente do atual governo do país. A tolice do presidente, que insiste em não tomar a vacina contra o coronavírus, impede que ele entre em estabelecimentos que exigem a imunização para tentar controlar o avanço da pandemia.

Sair do Brasil para passar por uma situação dessa no exterior é vergonhoso e mostra que o comportamento de Bolsonaro mancha a imagem do Brasil de forma incalculável. Prestes a participar da Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU), o presidente não tem muito o que dizer diante de seu negacionismo em relação aos problemas do país e do mundo.

Além de Bolsonaro, outra presença chama atenção na foto da pizza na rua: o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também aparece no retrato. Como esta coluna comentou, já passou da hora do ministro pedir para sair do cargo, já que não tem feito nada além de abaixar a cabeça para as ordens de Bolsonaro e negar a ciência, mesmo sendo médico.

A temporada de Bolsonaro em Nova York deve ser cheia de registros negativos (tratei disso na semana passada e farei nova coluna em breve). Assim que chegou na cidade, por exemplo, o presidente teve que entrar pela porta dos fundos do hotel no qual está hospedado para fugir de uma manifestação que acontecia na porta da frente contra o governo.

O tema deste ano da Assembleia da ONU é “Construindo resiliência por meio da esperança – para se recuperar da Covid-19, reconstruir de forma sustentável, responder às necessidades do planeta, respeitar os direitos das pessoas e revitalizar as Nações Unidas”.

Fica difícil acreditar que Bolsonaro conseguirá contribuir num evento com esse tema, já que o país está ficando conhecido por negar evidências, pelo atraso no combate ao coronavírus e pelo desrespeito aos direitos humanos. Isso é só o começo da lista. Ela é muito grande e tem que ser tratada em uma série de colunas. Nos vemos em breve, amigos leitores. 

Continua após a publicidade
Publicidade