Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Menos interferência de Bolsonaro na Saúde ajuda o país, diz Ibaneis

Governador do DF planeja reabrir comércio de Brasília em 10 dias, a depender da distribuição de máscaras, e defende trabalho dos técnicos do serviço público

Por Matheus Leitão Atualizado em 16 out 2020, 11h53 - Publicado em 14 abr 2020, 14h26

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), acredita que, quanto menos interferência do presidente Jair Bolsonaro nas decisões do Ministério da Saúde em meio à crise do coronavírus, melhor será para o país. No DF, ele tem planos de começar a abrir o comércio em 10 dias, desde que haja um milhão de máscaras disponíveis na capital.

Em entrevista à coluna, Ibaneis Rocha destacou que é preciso ouvir os técnicos do serviço público para “fazer as coisas direito”. Na opinião do governador do DF, um dos primeiros políticos a agir contra a pandemia, a redução das interferências de Bolsonaro já está refletindo inclusive na liberação de recursos para os estados e na melhoria do relacionamento entre os órgãos de saúde. 

Ibaneis afirmou que os “embates ideológicos” entre Bolsonaro e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em relação às ações de prevenção contra o coronavírus, dificultaram o trabalho para conter o avanço da Covid-19. 

ASSINE VEJA

O vírus da razão O coronavírus fura a bolha de poder inflada à base de radicalismo. Leia também: os relatos de médicos contaminados e a polêmica da cloroquina
Clique e Assine

“No início era muito ruim, eles tinham quase que um embate ideológico, o que atrapalhava muito o trabalho. O presidente, mesmo mantendo a ideologia e a cabeça dele daquele jeito, agora está interferindo menos nas ações do ministério, o que é melhor [para nós]”, afirmou. 

“Inclusive, em relação às secretarias de Saúde dos estados, a coisa vem melhorando no relacionamento e no repasse de recursos. Eles [Bolsonaro e Mandetta] começaram a se entender mesmo diante de tanto desentendimento”, completou.

Apesar da avaliação de Ibaneis sobre o aumento do entendimento no governo, a fritura de Mandetta, no entanto, continua no primeiro escalão federal. Fontes ligadas ao gabinete presidencial afirmaram que as próximas horas desta terça-feira (14) reservam “surpresas”, informa o Radar.

Continua após a publicidade

Máscaras

O governador do Distrito Federal disse que pretende distribuir cerca de um milhão de máscaras para a população da capital e do entorno até o fim desta semana, se elas ficarem prontas. Os materiais que estão sendo preparados, segundo ele, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai-DF) e pela Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra).

Após a doação dessas máscaras, Ibaneis pretende, em no máximo dez dias, iniciar gradualmente a abertura de estabelecimentos comerciais. 

“Segundo os estudos, como a curva não expandiu muito, a gente já estaria dentro de um controle do vírus. Semana passada abri indústria de móveis, metalurgia, algumas coisas que tinham menor impacto. Agora, vou começar [a abrir o comércio] semana que vem, se conseguir a liberação das máscaras”, diz o governador.

As escolas devem ser as últimas a funcionar porque aumentam muito a circulação de pessoas nas ruas, apontou Ibaneis.

Siga a coluna no Twitter, no Instagram e no Facebook 


 

Continua após a publicidade
Publicidade