Clique e assine a partir de 9,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Brasil teve uma das piores respostas à pandemia, diz político europeu

Presidente do Conselho Econômico e Social de Portugal, Francisco Assis afirma que descuido com indígenas brasileiros é situação particularmente dramática

Por Matheus Leitão - Atualizado em 31 jul 2020, 11h02 - Publicado em 31 jul 2020, 10h19

O Brasil teve uma das piores respostas do mundo à pandemia do coronavírus e a forma como o governo Jair Bolsonaro tem tratado as comunidades indígenas durante a crise sanitária é particularmente dramática. A afirmação é do político português Francisco Assis, ex-eurodeputado e atual presidente do Conselho Econômico e Social de Portugal.

Francisco Assis possui uma longa trajetória na política, em especial na defesa dos direitos indígenas em todo o mundo. Em 2018, ele produziu um relatório que é referência sobre os povos indígenas e deu atenção especial ao Brasil e à América Latina. Além disso, o político participou de negociações importantes entre o Mercosul, do qual o Brasil faz parte, e a União Europeia.

ASSINE VEJA

Os 10 fazendeiros que mais desmatam a Amazônia Leia em VEJA: Levantamento exclusivo revela os campeões da destruição. Mais: as mudanças do cotidiano na vida pós-pandemia
Clique e Assine

Para ele, as populações pobres, desfavorecidas e frágeis estão sofrendo mais com a pandemia. Por se encaixarem nesse grupo, os indígenas também têm sofrido com a doença em vários países do mundo, mas a pior situação acontece no Brasil onde, segundo ele, o governo sempre fez sucessivos ataques aos indígenas.

“A Covid-19 é globalmente muito negativa, atinge todos os setores da sociedade, mas acaba por ser particularmente dramática junto das populações mais frágeis, como é o caso dos indígenas, e o que está acontecendo no Brasil suscita grande preocupação em toda a Europa”, afirma Francisco Assis.

Continua após a publicidade

Ele cita como exemplo a África e a Ásia, que têm reagido à contaminação de suas comunidades indígenas. “O Brasil é, de longe, o país em que as coisas estão mais complicadas devido ao comportamento das autoridades, em particular o comportamento e o discurso do presidente da República”, destaca.

Ao falar sobre Bolsonaro, Francisco Assis afirma que o presidente brasileiro desvaloriza a questão da doença com a postura adotada. “O que verificamos é que no Brasil tudo se faz tarde, há uma displicência total, há um discurso político que desvaloriza completamente a questão e entendo que o Presidente da República tem agido de uma forma extremamente irresponsável”.

Segundo Francisco Assis, o atual governo teve uma das piores respostas à crise em todo o mundo e, neste momento, a visão europeia sobre o Brasil é negativa. “Neste momento, temos uma visão negativa do Brasil. Ao mesmo tempo, temos sempre a expectativa de que o país, com todas as suas capacidades, mostre reação. Temos expectativa de que consiga superar as suas dificuldades e passar esse momento que é, claramente, menos bom da sua história contemporânea para reencontrar uma outra perspectiva”, enfatiza.

Na visão dele, a solução para o Brasil é restabelecer o diálogo e vencer a polarização política para enfrentar a crise. “O que é preciso no Brasil é recuperar a capacidade dos vários setores da sociedade brasileira falarem uns com os outros, empresários, sindicatos, sociedade civil, vencer a polarização política que favorece discursos extremistas que em nada contribuem para a resolução dos problemas”, conclui.

Publicidade