Clique e assine a partir de 9,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Minutos após registro, MBL pede impugnação de candidatura de Lula

Para o coordenador nacional do grupo, Kim Kataguiri, não há dúvidas de que o impugnado está inelegível desde a publicação do acórdão do TRF4’

Por Da Redação - 15 Aug 2018, 19h12

Minutos depois de o PT registrar a candidatura a presidente da República de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o Movimento Brasil Livre (MBL) entrou com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a impugnação do registro. O requerente foi Kim Kataguiri, um dos coordenadores nacionais do movimento e candidato a deputado federal pelo DEM, que lembrou a condenação em segunda instância do petista e o fato de ter sido negado ao ex-presidente diversos pedidos de habeas corpus para a suspensão do cumprimento da pena.

Portanto, afirmou, “não há dúvidas de que o impugnado está inelegível desde a publicação do acórdão do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região)”. “Evidenciada a inelegibilidade do candidato, é flagrantemente imoral conceder ao postulante tempo de televisão e de rádio, bem como depositar-lhe recursos dos fundos partidário e eleitoral para que faça campanha”, afirma Kataguiri em trecho da ação.

O MBL requereu três pontos: reconhecer a inelegibilidade de Lula, impugnar a candidatura do petista e impedi-lo de praticar atos de campanha. A ação foi sorteada e ficou sob a responsabilidade do ministro Admar Gonzaga.

 

Publicidade