Clique e assine com até 92% de desconto
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaristas tentam espalhar suspeitas de fraude nas eleições do Brasil

Apoiadores do presidente tentam promover onda de desinformação para levantar a bandeira do voto impresso

Por Eduardo Gonçalves 15 nov 2020, 20h48

Com base em informações falsas e sem apresentar nenhuma prova consistente, parlamentares e blogueiros bolsonaristas passaram a tarde deste domingo, 15, tentando levantar suspeitas de fraude nas eleições municipais deste ano.

O movimento se intensificou após pesquisa de boca de urna do Ibope apontar para a derrota de candidatos apoiados por bolsonaristas, como Celso Russomanno (Republicanos) em São Paulo.

No começo, as teses furadas começaram a ser difundidas pela turma do terraplanismo digital, mas depois começaram a ser endossadas por deputados influentes no governo Bolsonaro, como o filho do presidente Eduardo Bolsonaro (PSL), Bia Kicis (PSL), Carla Zambelli (PSL), entre outros.

A onda de fake news, que busca repetir o que vem acontecendo nos Estados Unidos e levantar a bandeira do voto impresso, ganhou força com o atraso na apuração pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a tentativa de invasão hacker ocorrida na manhã deste domingo. O presidente do TSE, Luis Barroso, afirmou que a iniciativa criminosa foi “neutralizada” e que veio de Portugal.

A cada eleição surgem teorias da conspiração de que as urnas eletrônicas podem ser fraudadas. O TSE, por sua vez, garante que nunca houve uma fraude sequer comprovada em 24 anos de uso do aparelho, que é protegido por 30 camadas de segurança e fica sem conexão com a internet, bluetooth ou qualquer tipo de rede para impedir ataques externos. Conforme o tribunal, mais de 50 planos de ataques já foram detectados, mas nenhum concretizado.

Enquanto seu irmão levanta dúvidas sobre o processo eleitoral, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), que tenta a reeleição, permanece quieto nas redes. Ele aparece em segundo lugar na disputa à Câmara Municipal do Rio, com mais de 27.000 votos contabilizados até às 20h45 de hoje.

Continua após a publicidade
Publicidade