Clique e assine a partir de 9,90/mês
Letra de Médico Por Adriana Dias Lopes Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil

A saúde da mulher na quarentena

As consultas ginecológicas de rotina que seriam realizadas durante a quarentena podem ser adiadas, mas não por muito tempo

Por Sergio Podgaec - Atualizado em 26 Jun 2020, 16h11 - Publicado em 26 Jun 2020, 15h25

Papanicolau, mamografia, ultrassom transvaginal, densitometria óssea, exames de sangue, anticoncepcional, pré-natal, reposição hormonal, mioma, endometriose, candidíase! Podemos seguir com essa lista até preencher esse artigo inteiro, apenas citando os cuidados que a saúde de uma mulher demanda em diferentes fases da vida, lembrando que prevenção e doenças devem ser periodicamente revistos.

Claro que uma consulta de rotina para realização dos exames preventivos anuais pode ser adiada por um período não muito extenso de tempo; mas a quarentena, que tem sido fundamental na situação em que vivemos, praticamente paralisou as atividades da área da saúde que não fossem relacionadas à pandemia. Porém, percebendo que o tempo de isolamento seria prolongado, logo iniciarem-se as discussões sobre a necessidade de manutenção dos cuidados e atenção com a saúde.

ASSINE VEJA

Wassef: ‘Fiz para proteger o presidente’ Leia nesta edição: entrevista exclusiva com o advogado que escondeu Fabrício Queiroz, a estabilização no número de mortes por Covid-19 no Brasil e os novos caminhos para a educação
Clique e Assine

Para quem está trabalhando de casa e mesmo para quem está com os horários desorganizados, fazer um pouco de atividade física e procurar incluir uma alimentação saudável na rotina são itens importantes para tentar manter o corpo em ordem. O uso contínuo de medicações deve ser continuado e, de acordo com a situação de cada localidade do nosso país, consultas, exames e procedimentos programados já podem ser realizados.

LEIA TAMBÉM

Continua após a publicidade

A face da pandemia que só as mulheres enfrentam

Acompanhamento pré-natal, tratamentos oncológicos e situações de urgência não devem, de forma nenhuma, serem postergados. Vale lembrar que uma alternativa útil em alguns casos tem sido oferecida pela telemedicina, que consegue fornecer orientações, sem a necessidade de deslocamento físico.

Informação de péssima qualidade está sendo difundida por meios de comunicação de credibilidade duvidosa e mídias sociais, provocando um estado de incerteza ainda pior do que a própria situação já traz para a sociedade. Mas os cuidados com a saúde física e mental de cada indivíduo devem sempre ser preservados.

Médico Sergio Podgaec
Médico Sergio Podgaec Felipe Cotrim/VEJA.com
Publicidade