Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Isabela Boscov Por Coluna Está sendo lançado, saiu faz tempo? É clássico, é curiosidade? Tanto faz: se passa em alguma tela, está valendo comentar. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

No voluptuoso “O Anjo”, um caso célebre da crônica policial argentina

Com um ator sensacional e a direção vigorosa de Luis Ortega, filme é mais um acerto em cheio do cinema dos vizinhos

Por Isabela Boscov 18 abr 2019, 20h39

Cachos loiros, lábios cheios, rosto inocente: o adolescente Carlos tem mesmo um ar angelical – e aí está um caso em que as aparências enganam, e muito. Apoiado em um desempenho sensacional do jovem Lorenzo Ferro, o diretor Luis Ortega faz de O Anjo um filme vibrante, colorido, e também vertiginoso na maneira como acompanha a virada súbita de seu protagonista, que migra do péssimo comportamento para a sociopatia plena e absoluta a partir do momento em que encontra um companheiro ideal (Chino Darín, filho de Ricardo Darín) para suas, digamos, aventuras. Ortega recupera assim, numa narrativa tão vigorosa quanto imprevisível, um personagem que chocou a Argentina no início dos anos 70 e se tornou um dos nomes mais célebres da crônica policial do país.

Assista a seguir o video com a resenha:

Publicidade