Clique e assine a partir de 9,90/mês
Isabela Boscov Por Coluna Está sendo lançado, saiu faz tempo? É clássico, é curiosidade? Tanto faz: se passa em alguma tela, está valendo comentar. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Na Amazon, um dólar de prata: o faroeste “A Vingança de Lefty Brown”

Com uma atuação excêntrica e cativante de Bill Pullman, western inédito nos cinemas eleva aquele eterno coadjuvante, o “fiel escudeiro”, a protagonista

Por Isabela Boscov - Atualizado em 29 May 2020, 19h17 - Publicado em 29 May 2020, 19h09

Lefty Brown (Bill Pullman) é o primeiro a reconhecer que não é o mais esperto nem o mais competente dos homens; mas Edward Johnson (Peter Fonda), o ex-xerife que ele acompanha há décadas, quer deixá-lo assim mesmo no comando de seu rancho quando for para Washington assumir uma vaga no Senado, porque sabe que a lealdade de Lefty é inquestionável. Mal Johnson explica para o amigo sua decisão, ela será posta à prova: cavalgando no encalço de um ladrão de cavalos, os dois são baleados. Johnson morre e Lefty fica ferido – mas, após entregar o corpo do amigo à viúva (Kathy Baker), que sempre o considerou um inútil e o culpa por não ter protegido seu marido, ele só consegue pensar em achar os assassinos e obter alguma justiça para Johnson. Inédito nos cinemas brasileiros e dando sopa sem maior destaque no catálogo da Amazon Prime Video, A Vingança de Lefty Brown é um faroeste puro-sangue, robusto e austero apesar dos toques de humor. Ao mesmo tempo, faz uma inversão importante na estrutura clássica do gênero, ao tirar o herói de cena nos primeiros minutos e entregar o protagonismo àquele eterno coadjuvante, o fiel companheiro de cavalgadas/alívio cômico/prumo moral. É como se Dom Quixote fosse, na verdade, a história de Sancho Panza.

A Vingança de Lefty Brown
A24/Divulgação

O aspecto mais gratificante dessa troca promovida pelo roteirista e diretor Jared Moshe é que ele a faz sem alterar em nada as características de Lefty: ele continua sendo não muito esperto e quase incompetente, mas está tão agarrado à ideia de vingar o amigo que, de alguma maneira, sua determinação compensa suas deficiências. Filmado com economia e apuro em Montana mesmo, onde a história se passa – caso raro em que a locação corresponde à realidade –, Lefty Brown tem tanto a cabeça quanto o coração nos lugares certos: os diálogos são muito bons e soam autênticos; o uso das paisagens é exemplar, e esse é sempre um item fundamental em um western; os personagens secundários que colorem a trama (outro item indispensável) são excelentes, do garoto que se imagina um pistoleiro (Diego Josef) ao justiceiro lendário que há anos anda enfiado em uma garrafa por conta de uma desgraça pessoal (Tommy Flanagan, de Sons of Anarchy). No papel do governador de Montana e suposto amigo de longa data do assassinado, Jim Caviezel entra em cena suave, e por isso mesmo faz disparar os alarmes.

A Vingança de Lefty Brown
A24/Divulgação

O que une e dá textura a todos esses elementos, porém, é a chave em que a história é contada, e que está explícita no título original, The Ballad of Lefty Brown – porque as baladas eram uma espécie de história oral (ou musical, no caso), em que feitos individuais eram lembrados e comemorados. E a luta de Lefty para encontrar justiça e repelir a acusação de que ele seria o criminoso são verdadeiramente um feito – obscuro e desesperado, mas movido por amor. Jared Moshe, evidentemente, ama os westerns com uma lealdade comparável à de seu personagem. (Aliás, em 2012, cinco anos antes de Lefty Brown, ele fez outro faroeste que é uma beleza, chamado Dead Man’s Burden, que se pode encontrar no YouTube com legendas em inglês).

A Vingança de Lefty Brown
A24/Divulgação

Importantíssimo para o sucesso de Lefty Brown, entretanto, é o desempenho de Bill Pullman. Posso pensar em dez outros atores mais famosos e muito mais bem pagos e premiados que Pullman que provavelmente teriam feito desastre com um personagem como esse. Pullman consegue uma façanha: ainda que o sentimento e a ingenuidade movam o personagem, ele elimina de Lefty (que, apesar do nome, não é canhoto, mas sim destro) qualquer sentimentalismo e tolice, e o enche de personalidade e de caráter. Enche-o, também de excentricidades, mas faz com que elas pareçam perfeitamente coerentes entre si, como se fossem todas cortadas do mesmo tecido. Vendo o trabalho de Pullman nos últimos anos – por exemplo, em The Sinner –, minha impressão é de que ele chegou a um ótimo acordo consigo mesmo. Não faz mais nada que se espera dele e faz tudo o que acha que tem de fazer – em geral, algo estranho, inesperado, meio insondável e muito interessante. É um trabalho que, às vezes, quase passa despercebido, mas nunca deixa de ser compensador.

Continua após a publicidade

Trailer

A VINGANÇA DE LEFTY BROWN
(The Ballad of Lefty Brown)
Estados Unidos, 2017
Direção: Jared Moshe
Com Bill Pullman, Tommy Flanagan, Diego Josef, Kathy Baker, Peter Fonda, Jim Caviezel, Stephen Alan Seder
Onde: na Amazon Prime Video

 

Publicidade