Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Tremei, Lula e Dilma! Gerson Almada pode detonar o PT

Lula e Dilma Rousseff tem mais um motivo para mexer os Cardozinhos, digo, os pauzinhos. O PT recebeu mais de 50 milhões de reais, de acordo com a planilha de Pedro Barusco, das mãos do homem que agora pretende abrir a boca. Gerson de Mello Almada, vice-presidente da construtora Engevix cuja liberdade foi negada hoje […]

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 01h59 - Publicado em 3 mar 2015, 15h54

Captura de Tela 2015-03-03 às 14.21.49

Lula e Dilma Rousseff tem mais um motivo para mexer os Cardozinhos, digo, os pauzinhos.

O PT recebeu mais de 50 milhões de reais, de acordo com a planilha de Pedro Barusco, das mãos do homem que agora pretende abrir a boca.

Gerson de Mello Almada, vice-presidente da construtora Engevix cuja liberdade foi negada hoje pelo STJ, pediu ao juiz Sérgio Moro que seja interrogado porque teria “contribuição relevante para a cognição dos fatos”.

Em janeiro, ele rompeu o então pacto de silêncio das empreiteiras sobre a participação dos políticos e o uso do dinheiro sujo em campanhas eleitorais com a seguinte declaração:

“O custo alto das campanhas eleitorais levou, também, à arrecadação desenfreada de dinheiro para as tesourarias dos partidos políticos. Não por coincidência, a antes lucrativa sociedade por ações, Petrobras, foi escolhida para geração desses montantes necessários à compra da base aliada do governo e aos cofres das agremiações partidárias”.

Continua após a publicidade

Na petição, o advogado de Almada também fala “de quem usou a Petrobras para obter vantagens indevidas para si e para outros bem mais importantes na República Federativa do Brasil”.

Quando alguém menciona outros “bem mais importantes” na República, Lula e Dilma se tremem todos.

O advogado acrescenta: “faz mais de doze anos que um partido político passou a ocupar o poder no Brasil. No plano de manutenção desse partido [PT] no governo, tornou-se necessário compor com políticos de outros partidos, o que significou distribuir cargos na Administração Pública, em especial, em empresas públicas e em sociedades de economia mista.”

Em outras palavras: José Dirceu, o padrinho do arrecadador petista Renato Duque, poderá voltar a Papuda. Seria bom se voltasse acompanhado de outros “bem mais importantes”.

Almada

Fala, Almada!

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade