Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

O golpe do PT: Empreiteiros desistem de delação premiada para negociar acordos de leniência, diz procurador

O golpe do PT contra as investigações do petrolão fica claro nas palavras de Julio Marcelo de Oliveira, procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União: “Não é que os acordos de leniência possam atrapalhar a Operação Lava Jato. Eles já atrapalharam, porque a sua simples perspectiva fez com que empreiteiros deixassem de fazer […]

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 01h46 - Publicado em 25 mar 2015, 20h22

julio-marcelo-oliveira-congresso-mp-de-contasO golpe do PT contra as investigações do petrolão fica claro nas palavras de Julio Marcelo de Oliveira, procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União:

“Não é que os acordos de leniência possam atrapalhar a Operação Lava Jato. Eles já atrapalharam, porque a sua simples perspectiva fez com que empreiteiros deixassem de fazer acordos de delação premiada.”

O motivo é óbvio: quem vai entregar todos os comparsas se pode se beneficiar por muito menos? A Controladoria-Geral da União (CGU), entidade que formaliza os acordos em nome do governo federal e à margem da Justiça, está empenhada em acobertar os crimes do PT.

O pretexto é o de sempre: evitar a quebra das empresas em nome do combate ao desemprego.

“Já existem mais de 30 mil pessoas demitidas dentro dessa realidade”, alegou o advogado-geral da União e comparsa do PT, Luis Inácio Adams, na audiência pública desta quarta-feira na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara.

Oliveira rebateu:

“Temos que comparar o custo de punir com o custo de não punir. Quanto custa ao país manter um mercado de obras públicas contaminado por corrupção? O custo de não punir é mais alto do que o custo de punir as empresas contaminadas.”

Não para o PT, claro, que quer permanece impune.

Continua após a publicidade

“Leniência ampla e geral não existe em lugar nenhum do mundo. O que se faz é um acordo limitado com a primeira empresa disposta a entregar as outras”, completou o procurador.

Oliveira disse ainda que a CGU não tem como saber se as informações prestadas pela empresa beneficiada são novas ou não, já que a maior parte das investigações feitas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público é sigilosa.

Em outras palavras: a CGU é hoje um órgão intrometido que, graças aos esforços de Adams, chegou para atrapalhar a Lava Jato.

Sim: o PT mandou o Brasil tomar na CGU.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade